APRESENTANDO A ICEU

Neste novo tempo, sob as luzes da revelação espiritual e mediúnica, fundou-se no Brasil uma Obra Espiritual de natureza cristã, evangélica, ecumênica e de aceitação dos postulados da doutrina espírita: a ICEU. (Jo.14:15,16,17,26;16:7-14) (vide A Bíblia e As Obras da Doutrina Espírita Codificada por Allan Kardec);

A ICEU, foi fundada para propiciar aos cristãos um vasto campo de conhecimento e desenvolvimento da fé raciocinada, com a razão iluminada, este voltado a vivência integral do Cristianismo, sob o enfoque doutrinário ecumênico. Em verdade, a ICEU tem uma lídima pretensão: operar a transformação social, política e religiosa e promover a convergência do Povo de Deus para o entendimento e aceitação da ideal e real presença viva de Jesus Cristo como Único Pastor e Governante Planetário (Jo.10:16), mesmo sabendo, porém, que tal atividade não se realizará com a centralização de todo o Povo de Deus em uma única “Entidade”, “Governo Material” ou “Igreja” essa(e)s influenciada(o)s pela vontade e poderes terrenos ou, da mesma forma por Um Só Sistema Governamental Terreno. Não. Toda a influência será Espiritual! Jesus Cristo governa(rá) o Mundo! (Isaias-Caps.11;12;13;14;16:1-5). Embora diversas, todas as igrejas, as entidades associativas e o(s) governo(s), trabalharão para um fim comum: vivenciar o cristianismo na sua forma mais simples, por intermédio de uma viva e real prática igualitária, consensual, fraternal, ecumênica, promovendo-se a convergência de todo(a)s para o(um) “Movimento de Nova Consciência e de Prática Ecumênica”. Tarefa, reconhecidamente, de difícil execução; (Mt. 24:1-51; Mc.1:37; Efésios. 4:1-32; 5:1-21) - Contudo possível. Tal, entre outros, um dos objetivos da ICEU.

Muito Justo e apropriadamente correto é dizer-se e afirmar-se que a ICEU é uma Obra Co-fundada, sobretudo devido a sua originária raiz espiritual e por não ser a sua autoria e fundação fruto de uma concepção e criação humana, seja individual ou grupal. Uma vez materializada e concretizada no Plano Material Terreno, pela via espiritual e da lavra instrumental e intermediária humana, verdadeiramente lógico e também justo é afirmá-la como sendo Obra Co-fundada por intermédio do receptor; e não uma Obra por ele Fundada. Tudo em respeito a Verdade. (João-14:15,16,17-26; 16:7-15).

Os espíritos de todas as ordens, as pessoas de quaisquer nacionalidades ou religiosidades, que optarem por aceitar e servir (At.2:17,18; Joel.2:28,29) a uma causa dessa dimensão, sem dúvida, acolherão a ICEU e nela atuarão com vigor espiritual, fraternidade, fidelidade e harmonia. A organização física e hierárquica da ICEU respeita o esforço dos primitivos organizadores (os apóstolos) da Igreja Cristã, e aceita-os: o Corpo de Membros; o Diaconato; o Presbitério e o Bispado (Pastorado e/ou Mentorado e/ou Ministério e/ou Conselheiro); o Batismo; o Dízimo; as Ordenanças variadas; o Comissionamento e a outorga de procurações especiais e específicas; compõem clássica e efetivamente o modelo administrativo da ICEU.

Logicamente, a ICEU pretende ser aceita e vivênciada por todos; sobremaneira, pelos que se intitulam cristãos. Entretanto, as pessoas que estiverem satisfeitas em participarem como filiadas das diversas organizações religiosas existentes, decerto, não comporão os Quadros de Membros da ICEU; mas, certamente, a respeitarão e não oporão obstáculos às suas atividades. A ICEU, como Igreja Ecumênica, se destina àqueles que, em espírito e verdade, através de um justo sentimento fraternal, solidário e divino, servem à Deus, por intermédio de Jesus Cristo e do Espírito Santo, Este manifestando-se via incontáveis falanges de espíritos missionários; seja na Terra, seja na Pátria Espiritual ou no intercâmbio entre as duas Pátrias.

Conhecendo a ICEU, vivenciando suas reuniões e cultos, estudando seus Estatutos Constitutivos; a Carta Teológica Cristã Ecumênica Universal, - O Seu Credo – A Sua Profissão de Fé, decerto, os que a aceitarem serão muito mais racionais, realistas, progressistas, espirituais, sociais e felizes, vez que praticarão o ensino de Jesus Cristo: “Conhecereis a verdade e a verdade vos Libertará”. (Jo.8:32).

Desde já, nesta atual existência, aqui mesmo no planeta Terra, suas vidas e seus futuros serão abençoados e prósperos, inclusive materialmente, pois que bons administradores e cooperadores dos dons da vida serão. (Mt.24:31-51)

Aceite o convite! Seja membro da ICEU.

Seja bem-vindo!

Ave Cristo! Os que amam à DEUS Te Servem e Te Saúdam!

Câmara do Preceptor da ICEU

Dr. Carlos Fernando Caetano de Moraes



FATOS ANTECEDENTES À CO-FUNDAÇÃO DA ICEU

Existia no município de Itapevi (São Paulo – Brasil), a sede do Centro Espírita Seara de Jesus; núcleo fundado no ano de 1952 por um abnegado grupo de espíritas, mas que se encontrava abandonado e sem atividades (porta quebrada e fechada; de telhado falho; sem energia elétrica; sem água; de parco mobiliário; vitrôs quebrados; no seu interior existia muito mato e até sapos e cobras, nele foram encontradas, inclusive na sua parte externa que não tinha muros). À época (ano de 1978) desses fatos, no município de Carapicuiba, Carlos Fernando presidia as todas atividades do Centro Espírita Obreiros da Vida Eterna – e, dele freqüentava uma senhora (Darcila...) que era irmã de um remanescente diretor (Rodnei...) do Centro Espírita Seara de Jesus, que preocupado com a situação da entidade, solicitou socorro para a casa. Conhecendo in loco o caso e os reais fatos, Carlos Fernando dedicou-se à restauração integral do Centro Espírita Seara de Jesus e desligou-se, posteriormente, do Centro Espírita Obreiros da Vida Eterna, fixando, doravante, as suas atividades em Itapevi. Grandes foram as lutas e as oposições sofridas. Durante dois anos seguidos, Carlos Fernando permaneceu sozinho no preparo da Obra; não havia, literalmente, nenhum espírito reencarnado auxiliando-o. Algumas pessoas do Obreiros que, inicialmente, prometeram ajudar, não perseveraram. Contudo, enfim, a Obra foi sendo gradualmente restaurada e erguida. Um público de mais ou menos cinqüenta pessoas (quando a casa fazia-se cheia nas atividades festivas, sobretudo) frequentava as Reuniões.
    A Luz do Mais Alto irradiou sobre as trevas!